(021) 2431-3403    |    contato@visionrio.com.br    |   

As doenças oculares típicas do inverno

O clima seco, junto com a baixa umidade, é a fórmula perfeita para desencadear diversas doenças, entre elas, as oftalmológicas. Isso acontece porque durante o inverno, além da maior concentração de poluentes no ar, nossos olhos perdem parte da lubrificação natural – a camada aquosa da lágrima se evapora. Por isso é tão importante atentar para a saúde ocular nessa época. Saiba quais são as enfermidades mais comuns e aprenda a tratá-las.

Alergias

Causadas geralmente pela exposição a poeira, ácaro e fungos, as alergias provocam reações como olhos vermelhos e irritados, coceira, lacrimejamento, ardência e sensibilidade à luz (fotofobia). Qualquer pessoa pode desenvolver alergias oculares, mas são mais frequentes em quem já tem essa predisposição e sofre de rinite, asma e outras afecções respiratórias, por exemplo. O tratamento é relativamente simples, bastando que o indivíduo se afaste das substâncias que provocam essas reações. Mas também se recomenda uma consulta ao oftalmologista e ao alergista para uma terapia combinada.

Conjuntivite

Como o próprio nome sugere, a conjuntivite consiste numa inflamação da conjuntiva, aquela parte branca dos olhos. Acontece normalmente quando se permanece muito tempo em locais fechados e se expõe a microrganismos tóxicos. Pode ser classificada de três formas: alérgicas, virais e bacterianas.

As alérgicas não são contagiosas, não deixam sequelas e têm duração variável. Causadas por alérgenos, pode atingir os dois olhos e provocar inchaço, coceira intensa, lacrimejamento e vermelhidão.

Originadas por vírus, as virais são altamente contagiosas, surgem em episódios de imunidade baixa e duram, em média, 15 dias. Entre os sintomas estão a sensação de areia ou corpo estranho nos olhos e forte lacrimejamento. A bacteriana é causada por uma infecção provocada por bactérias, é relativamente contagiosa e costuma durar entre 10 e 14 dias. Os principais sintomas são vermelhidão, coceira, lacrimejamento, fotofobia, sensação de corpo estranho e produção de substância espessa e amarelada.

Para todas as conjuntivites, o tratamento consiste na lavagem dos olhos com soro fisiológico e no uso contínuo de colírios ou antibióticos específicos para cada caso.

Síndrome do olho seco

Doença crônica caracterizada pela diminuição da produção de lágrima ou pela má qualidade dessa produção. Surge normalmente em decorrência do ambiente: poluição, poeira, ar seco, baixa umidade do ar, ar-condicionado. Os principais sintomas se manifestam como ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar-condicionado ou em frente ao computador, olhos embaçados, coceira, vermelhidão, lacrimejo excessivo e sensibilidade à luz. O tratamento consiste no uso de lubrificantes e antioxidantes, além de contínua higiene ocular para preservar a lágrima.

Para prevenir essas doenças, antes mesmo da chegada do inverno, lave as roupas de cama e mantenha o ambiente em que você fica mais tempo limpo e arejado. Também lave com frequência o rosto e as mãos, para evitar o contágio; não compartilhe itens pessoais, como toalhas ou maquiagem; mantenha-se longe de alérgenos e ambientes climatizados. Assim dá para preservar sua vista por todas as estações!

Fonte: Medical Site